Matéria retirada da coluna de Elisa Campos, da Época.

O espantoso número de 0,9% de milionários controlam 39% de toda a riqueza mundial. E se formos mais a fundo na questão, poderemos enxergar a dimensão do capital especulativo nessa fatia, aquele mesmo que foi responsável pela crise de 2008, fez o Estado pagar a conta e que agora estende a mão para que Obama a beije em troca de apoio político.

Algo há de errado nos valores de uma sociedade que insiste em acreditar que a produção de riqueza, do modo como é feita, nos tornará mais humanos.

Milionários controlam 39% da riqueza mundial

19:22, 17/06/2011

Elisa Campos
 
Estados Unidos se mantêm como o país com o maior número de milionários do mundo, 5,2 milhões

Apesar da ascensão das economias emergentes, o mundo não está ficando menos desigual. Em 2010, os milionários representavam 0,9% da população do globo, controlando 39% da riqueza mundial, dois pontos percentuais acima dos 37% de 2009, segundo pesquisa do Boston Consulting Group. Os números ficam ainda mais impressionantes. Dentre os mais ricos, aqueles com fortuna superior a US$ 5 milhões, ou 0,1%, possuíam 22% da riqueza total.

Apesar da concentração de renda, o número de milionários cresceu 12,2% no ano passado, alcançando 12, 5 milhões. A elite financeira mundial detinha então US$ 47,4 trilhões, em comparação aos US$ 41,8 trilhões em 2009. O levantamento do BCG define como milionário quem tem US$ 1 milhão ou mais em investimentos, excluindo dos cálculos casas, bens de luxo e empresas.

Na disputa pelas grandes fortunas, os Estados Unidos continuam a liderar em número de milionários, com 5,2 milhões, seguidos pelo Japão (1,5 milhão), China (1,1 milhão) e Reino Unido (570 mil). Singapura, entretanto, está em primeiro lugar na ‘densidade da riqueza’, com 15,5% de sua população no time dos ricaços. Na sequência, aparece a Suíça, com 9,9%.

E, na sua opinião, a desigualdade deve aumentar ou diminuir nos próximos anos? Comente!

(Via Wall Street Journal)

Advertisements